.sobre minha mãe Marilda.

Drama!

DRAAAAAAAAAAAAAAAAMA!

A Globo ainda não a descobriu. Mas é uma questão de tempo. Eu sinto que é só uma questão de oportunidade. Afinal, um talento assim não pode ser desperdiçado. Não mais.

Foi-se a época áurea do tão incompreendido “escuta-me, eu sei do que estou falando”. Esse era um momento bom! A gente fazia todas as besteiras que queria e ainda se revoltava com essa simples frase, porque ninguém nunca nos entendeu, até hoje!

Foi quase de mãos dadas a esse período que surgiu o tão famigerado “quem manda aqui sou eu”. Que saudades!! Alguém mandava e a gente desobedecia, simples assim. Às vezes tomava uns tapas, outros um tratamento de silêncio. Sinceramente, o segundo sempre foi pior. Mesmo assim, a gente desobedecia, e o faz até hoje!

Sabe aquela fase que passou (ahhh queria que tivesse durado pra sempre) do tão sonhado “o dia que eu morrer, você vai se arrepender”? A gente sempre achava na hora da raiva que isso nunca ia acontecer, que a gente nunca ia se arrepender. Era tão bom quando era só uma ameaça. Quando era só um drama! Quando parecia que existia uma importância muito grande naquela bronca.

D…R….A….M….A!

  • Você não me valoriza! – Não mesmo, afinal o mundo gira em torno de nós.
  • Não sou sua empregada! – Não mesmo, mas limpa toda a sujeira que fazemos.
  • Não quero mais saber! – Mentira… você quer saber porque a gente vai contar mesmo assim.
  • Sai da minha casa! – A gente sai, mas você pede pra voltar então que valor que tem?

Que raiva! Mãe dá raiva, muitas vezes. Principalmente quando a elas pertence a verdade em forma de sabedoria. Ela sabe mais do que eu! “DO QUE EU?! De jeito nenhum!”.

Eu sinto raiva todo dia! Porque mãe não é eterna. Porque todas as minhas encheções de saco tem hora pra acabar. Porque todas as minhas rebeldias serão jogadas ao vento em um dia qualquer desses aí. Porque a vida passa, as mães vão embora, nós ficamos, e nem sempre seremos mãe, nem sempre entenderemos o papel delas, nem sempre poderemos ser elas.

Eu demorei quase 30 anos pra ver na minha mãe uma melhor amiga. 30 anos. Eu tenho 30 anos de mãe, e não de qualquer mãe, da MINHA mãe. Eu tive, eu tenho, e eu terei pelo menos mais uma hora de mãe porque a vida é justa comigo. A vida me deu a chance de nascer ali, daquela pessoa, daquela mulher toda imperfeita, toda cheia de conflitos, toda errada muitas vezes. Daquela que me fez sentir raiva muitas vezes, e de nunca reconhecer o amor, porque ele é tão presente e tão recorrente que passa batido.

Drama! Minha mãe faz drama, e ela se mete em tudo. Na minha vida, nas minhas escolhas…Ela acha que não está fazendo nada, mas sempre está! É um verdadeiro abutre de asas muito abertas só esperando a hora de atacar…seja de verdade…seja de conforto…seja de crítica…seja de amor.

A gente se acomoda ao amor de mãe! Ela se acomoda ao amor de filho! #fim

Eu sei que o maior desafio dela é fazer com que eu seja feliz, que cometa meus erros, que caia e me levante sozinha. Sei disso, sempre soube! Só acho que às vezes ela esquece que o meu maior desafio é tirar ela de mim. É conseguir cometer meus erros, seguir meu caminho, seguir um caminho diferente. É não comprar um apartamento, talvez não ter filhos, não ter uma carreira estável, não gostar das mesmas coisas. É fazer diferente, e, mesmo assim ser igual a ela. Eu quero ser igual a ela, só que diferente!

Ela me fez para que me tornasse uma versão 2.0 dela! E eu quero ser uma versão 3.0 de mim, e dela. Quero o melhor dos dois mundos, e quero causar a mesma raiva que às vezes senti nas pessoas que eu amo. Porque assim eu aprendi a amar mais do que imaginei que fosse capaz. Eu aprendi a enxergar um ser humano além dessa roupa de anjo que somos forçados a ver. Ninguém critica mãe, e isso é um erro!

Mãe, esse post é pra você! Pra que entenda que eu te amo APESAR de todas as suas falhas! Eu te amo pela pessoa que você é, pela força que tem, pelos desafios que enfrentou, pelos buracos que tapou com as mãos para que eu não caísse neles. Eu sei de todos os pequenos esforços que você fez pra eu ser quem eu sou. Sei de todas as angústias que segurou pra não me causar mais insegurança.

E eu te amo por ter me tornada tão falha e humana como você! Obrigada por mais um segundo no mesmo universo que você! Obrigada por ter me escolhido, me acolhido, me amado… Por achar que minha vida poderia ser mais fácil do que é. Por querer que minha vida seja mais fácil do que é. Por se meter quando alguém me faz chorar, e, principalmente, por se abster do papel de mãe quando eu preciso de uma amiga. Eu sei que esse é o maior desafio que você já enfrentou.

Feliz dia da minha mãe, MARILDA.

E de todas as mães amadas por aí!

Um comentário sobre “.sobre minha mãe Marilda.

  1. E eu aqui! No meio do meu trabalho , cheia de perrengue profissional e acabo me deparando com esse texto escrito pela escritora e filha Sara Heck! Parei tudo e comecei a chorar, sem mí mi mi, mas por ser mãe dessa mulher, e perceber sua capacidade em me compreender e reconhecer tudo que sou ou que esperei ser para meus filhos! Sabe gente, essas palavras escritas por ela, serão levadas no meu coração por toda a minha vida e por todos os meus dias. Ser igual e ser diferente! Que lindo! Obrigada filha por ter absorvido meu lado bom é ter buscado ser diferente pra ser sempre uma pessoa única e especial! Vencemos filha e agora continuar nos aprimorando para sermos sempre melhor em busca de nossa Felicidade! Vou publicar sem reler, senão mudo tudo e não quero! Te amo filha

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s